o chamado do mar

13:53

Eu escuto o mar me chamar novamente para me deitar em suas águas,
Deixo que me devore suavemente enquanto meu corpo vazio e cheio de marcas possa adentrar cada vez mais a escuridão, onde a luz da lua alguma vez ousou tocar.
Que as correntezas possam carregar meu corpo para lugares em que o homem nunca imaginou pisar
Que as correntezas possam lavar tudo aquilo que apodreceu dentro de mim.

Que eu possa ser livre como os peixes que nadam em sua imensa magnitude.  

VOCÊ PODE GOSTAR

0 comentários

EM ALTA

Like us on Facebook